Trajetória do Colégio - Belo Horizonte/MG - Colégio Arnaldo
Colégio Arnaldo

Colégio Arnaldo » O Colégio » Nossa Trajetória

Nossa Trajetória

Nossa Trajetória

A Congregação do Verbo Divino completou, em 2014, 120 anos de história missionária em terras brasileiras.

Já que o Brasil é o maior campo de trabalho da S.V.D. na América do Sul. No entanto, a Congregação se faz presente nos cinco continentes, e adota, como uma das suas prioridades, a formação de seus membros para a missão evangelizadora, visando a formar um povo de Deus que participe da construção de uma sociedade justa e solidária.

Nesse contexto, o Colégio Arnaldo fundado por essa Congregação em 1912, sempre se notabilizou não somente pela excelência acadêmica, mas também pelo compromisso com a construção de uma sociedade mais justa e solidária.

Decorridos todos esses anos, muitas histórias podem ser contadas. Muitas memórias podem e devem ser recuperadas. O que não falta é o desejo de organizá-las e torná-las públicas para a sociedade mineira, belo-horizontina e, por que não, mundial. Isso porque o patrimônio cultural é uma riqueza que recebemos de herança para, posteriormente, transmitir aos nossos descendentes.

No Colégio Arnaldo estudaram figuras ilustres como, por exemplo, Carlos Drummond de Andrade, Guimarães Rosa, Fernando Sabino, Milton Campos, Fernando Brant, Roberto Drummond, Hilton Rocha, Rui Laje, Betinho, Afonso Arinos e Ivo Pitangui, dentre outras personalidades de renome nacional e internacional. A eles, a admiração, o reconhecimento e a força profícua do “sonho missionário acordado” do Padre Arnaldo Janssen em propagar o Verbo, o Verbo Divino, em múltiplos contextos.

Linha do Tempo

  • 1912 1912

    Fundação

    O Colégio Arnaldo, fundado em 1912, é um exemplo de prestígio e excelência acadêmica de uma história memorável que ultrapassa um século de existência. Nos idos de 1912, por determinação do Conselho Provincial, reunido em Juiz de Fora-MG, a Congregação alugou um imóvel em Belo Horizonte, na rua Timbiras, 1505, quase esquina com a rua da Bahia.

  • 1914 1914

    Com o início da Primeira Guerra Mundial, em 1914, os 50 mil marcos destinados à ampliação do Colégio ficaram comprometidos.

  • 1915 1915

    Naquele ano, o jornal “Minas Gerais” publicaria uma resolução governamental que entraria para a história de Minas Gerais: o Colégio Arnaldo seria, definitivamente, uma realidade educacional de excelência.

  • 1917 1917

    Início das atividades

    No dia 10 de novembro, o secretário do Interior, Dr. Américo Lopes, determinou que se procedesse a uma “minuciosa fiscalização” no interior das torres desenhadas pelo Padre Vienken: o receio era de que quatro pequenos canhões instalados ali poderiam deixar a cidade “basicamente arrasada”. A suspeita ficara ainda maior pelo fato de o Padre Mathias ter projetado uma das torres como móvel, pois giraria sobre trilhos. A inspeção, realizada pelo Dr. Cícero Ferreira, não deu grande coisa: o telégrafo sem fio virou um poético aparelho de código Morse, e nas ameias do torreão não se achou nada além do vento que desce da Serra do Curral. 

  • 1922 1922

    Início das atividades

    Inauguração do museu de zoologia e de história natural.

  • 1952 1952

    Piscina Suspensa

    Até hoje, são raríssimas as piscinas suspensas em todo mundo. No Brasil de meios século atrás, era uma novidade, uma audácia: construir colunas sólidas suficientes para sustentar uma piscina. 

  • 1968 1968

    Unidade Anchieta

    Fundado inicialmente como Arnaldinum, a unidade Anchieta amplia a atuação da congregação na cidade. Situada em um tradicional bairro de Belo Horizonte, a unidade soma a tradição do Arnaldo novas características e aproxima ainda mais o educandário da população. 

Exibir mais

Fotos
colegioarnaldo